ABPA na Mídia






03/12/2018

ABPA e MAPA buscam desburocratização para aprimoramento genético

Ministério revogou IN que tornava moroso processo de importação de insumos genéticos

São Paulo, 03 de dezembro de 2018 - A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) e as casas genéticas da avicultura vem empenhando, junto com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), esforços para reduzir burocracias para o melhoramento genético do plantel avícola nacional.

Em uma nova rodada de ações, o presidente da ABPA, Francisco Turra, o diretor-executivo, Ricardo Santin, e o diretor técnico, Rui Eduardo Saldanha Vargas, e representantes das empresas de genética avícola receberam na sexta-feira (30), em São Paulo (SP), a coordenadora de trânsito e quarentena animal do Mapa, Judi Nóbrega, e a Chefe do Núcleo de Gestão de Quarentenários Fernanda de Souza Simões Ferreira e Castro.

Entre os pontos tratados na reunião estiveram os avanços obtidos com a revogação da Instrução Normativa n° 46/2008 (ocorrida no fim de outubro), uma regulamentação considerada pelos players da avicultura para o atual momento do setor produtivo.

Ao longo dos últimos dois anos, a ABPA e as empresas associadas têm realizado entendimentos junto ao Poder Público para agilizar a importação de material genético, dentro de processos que preservem a segurança e o status sanitário do plantel brasileiro.  Visitas técnicas foram realizadas nas unidades produtoras e na estrutura de controle. 

“Antes da revogação desta norma, o processo para importação de material genético era altamente burocrático.  Os novos processos de importação, além de mais ágeis, seguem o contexto produtivo da demanda brasileira por mais insumos para a melhoria da produtividade, por meio da oferta de genética de ponta”, explica Francisco Turra.