ABPA na Mídia






15/01/2013

Avicultura reduziu produção e exportação em 2012, mas a manteve liderança no comércio internacional

Avicultura brasileira em 2012

Produção, consumo e exportações

 DESTAQUES

Redução na produção e exportação de carne de frango

Mantida a posição de maior exportador mundial

Brasil continua também como terceiro maior produtor 

Solidez do setor impediu que crise tivesse impacto maior

Em 2013, busca de novos mercados internacionais

Avicultura reduziu produção e exportação em 2012, mas a manteve liderança no comércio internacional

Segundo UBABEF, solidez impediu impacto maior ao setor, que saiu fortalecido

São Paulo, 15 de janeiro de 2013 - A União Brasileira de Avicultura (UBABEF) anunciou hoje as estatísticas consolidadas do setor em 2012.  A produção de carne de frango, principal produto avícola, foi de 12,645 milhões de toneladas, o que representa uma queda de 3,17% em relação a 2011. O Brasil manteve a posição de maior exportador mundial e de terceiro maior produtor de carne de frango, atrás dos Estados Unidos e da China.

A redução na produção foi reflexo da disparada, ano passado, dos preços do milho e da soja, que representam os principais custos do setor. Este impacto foi seguido pela ausência de créditos para avicultores e agroindústrias, o que resultou na paralisação de diversas empresas do setor e em milhares de demissões.

“A avicultura brasileira enfrentou em 2012 a maior crise de sua história. E as consequências só não foram mais acentuadas porque estamos falando de um setor muito sólido”, destacou o Presidente Executivo da UBABEF, Francisco Turra, frisando que a produção avícola atravessou esta conjuntura mantendo seus atributos de qualidade, sanidade e sustentabilidade.

Segundo o presidente da UBABEF, existe expectativa de maior produção de grãos por parte de países do Hemisfério Sul. E os contratos futuros para negócios com milho e soja indicam patamares de preços abaixo dos que foram praticados em 2012 e impactaram negativamente o setor. Mas alertou: “trata-se de um alívio, mas ninguém deve esperar o retorno aos patamares históricos, anteriores á seca que atingiu a agricultura dos Estados Unidos e que provocou a disparada de preços dos grãos no mundo”.

MERCADO INTERNO 

Do total da produção, 69% foram destinados ao mercado interno, mantendo a média histórica.

O principal cliente da carne de frango produzida pela avicultura nacional é o consumidor brasileiro, que recebe o produto com os mesmos elevados padrões de qualidade e sanidade conferidos ao produto destinado ao mercado internacional.

O Paraná, com 29,7%, foi o estado que liderou os abates de frangos em 2012. Os outros principais produtores foram Santa Catarina, com 17,7%; Rio Grande do Sul, com 14,4%; e São Paulo, com 12,7%.

Alojamento de matrizes

O alojamento de matrizes em 2011 somou 50.043.524 aves, em crescimento de 7,5% sobre os 46.556.070 de 2010.

 

Outros segmentos da produção avícola

A produção de carne de peru foi de 442 mil toneladas em 2012, contra 305 mil toneladas em 2011, um crescimento de 44,8%.

Já a produção de ovos totalizou 31,7 bilhões de unidades , com crescimento de 0,7%. Do total, 78% foram de ovos férteis e 22% de ovos vermelhos.

O Estado de São Paulo liderou a produção de ovos em 2012, com 36,6% de participação. Os outros grandes produtores foram Minas Gerais, com 11,7%;  Espírito Santo, com 7,7%; Paraná, com 7,1%; Mato Grosso, 6,1%; Pernambuco, 5,9%; e Rio Grande do Sul, com 5,3%.

Consumo per capita de carne de frango e ovos

Em 2012 o consumo per capita de carne de frango foi de 45 quilos, contra 47,4 quilos em 2011. A queda é explicada pela redução na produção.

Já o consumo per capita de ovos no Brasil ficou em 161,53 unidades no ano passado, contra 162,5 unidades em 2011, em redução de 0,65%%.

MERCADO EXTERNO

Em 2012 as exportações da avicultura brasileira (carnes frango, peru, pato, ganso e outras aves, ovos e material genético) totalizaram US$ 8,362 bilhões, com redução de 5,5% em relação a 2011. Em volume as exportações avícolas somaram 4,138 milhões de toneladas, com aumento de 0,5%.

Carne de frango

Embarques, receita cambial e preço médio – Os embarques de carne de frango, principal produto das exportações avícolas brasileiras, somaram 3,918 milhões de toneladas em 2012, com redução de 0,6% em relação a 2011. A receita totalizou US$ 7,703 bilhões, com queda de 6,7%. O preço médio das vendas brasileiras foi de US$ 1.966 a tonelada, em redução de 6,1%.

mix das exportações brasileiras em 2012 foi composto por 55% de frango em cortes, 35% de frango inteiro, 5% de frango salgado e 5% de frango processado.

As vendas por segmentos - As exportações de cortes somaram embarques de 2,143 milhões de toneladas, com aumento de 3,7% sobre 2011, e a receita cambial foi de US$ 4,272 bilhões, em redução de 4,1%.

As vendas de frango inteiro totalizaram embarques de 1,417 milhão de toneladas (retração de 5,7%) e receita cambial de US$ 2,460 bilhões (-5,7%).

Os embarques de frango industrializado, de 180 mil toneladas, se mantiveram estáveis (+0,3%), mas a receita teve queda de 14,2%, somando US$ 478,8 milhões. 

Nos outros segmentos os embarques foram de 177 mil toneladas (-8,3%), com uma receita de US$ 491,7 milhões (-22%).

As vendas por regiões de destino – O Oriente Médio continuou sendo a principal região de destino da carne de frango brasileira. Foram embarcadas 1,396 milhão de toneladas em 2012, com pequena retração, de 1,2%. A receita cambial foi de US$ 2,624 bilhões, em redução de 2,2%. Para a Ásia as exportações somaram 1,137 milhão de toneladas, com redução de 0,5% sobre 2011, e a receita somou US$ 2,396 bilhões, em queda de 8,7%. No caso da África, o terceiro maior mercado de destino em volumes, as encomendas foram de 598 mil toneladas, com crescimento de 20%, e a receita cambial totalizou US$ 822,6 milhões, com crescimento de 19% - o que representou o melhor desempenho entre as regiões de destino do frango brasileiro. A União Europeia respondeu por compras de 448,4 mil toneladas, redução de 8,2%, e por receita de US$ 1,184 bilhão, 18,3% menor em relação a 2011. Para os países da Europa extra UE os embarques foram de 118 mil toneladas em 2012, com crescimento de 10%, e a receita somou US$ 258,3 milhões, em aumento de 5,8%. Para os países das Américas o Brasil embarcou 216,7 mil toneladas, em uma retração de 25,2%, enquanto a receita foi de US$ 411 milhões (-25,7%).Para a Oceania os embarques foram de 2.188 toneladas (-22,2%) e a receita, US$ 4,7 milhões (-20,7%).

Exportações por Estado – Paraná, com 28,7% de participação, e Santa Catarina, com 26,1%, lideraram as exportações de carne de frango em 2012 em volumes. O Rio Grande do Sulrespondeu por 18,5% dos embarques e São Paulo por 7%. Em receita cambial, Santa Catarina, com 28,6%, liderou o ranking, vindo a seguir Paraná, com 26,6%; Rio Grande do Sul, com 18%; e São Paulo, com 6,5%.

Carne de peru

As exportações totalizaram 170 mil toneladas, com aumento de 26,8%, na comparação com o ano anterior. Já a receita cambial teve incremento de 12,5%, chegando a US$ 500,4 milhões.  O maior volume de embarques foi de cortes (102,5 mil toneladas), enquanto o principal mercado comprador foi a União Europeia, com 46% do total.

Carne de pato, ganso e outras aves

Esse grupo respondeu por embarques de 3 mil toneladas, com crescimento de 87,3% em relação a 2011. A receita, de US$ 11,2 milhões, teve expansão de 60,4%.

Ovos in natura e processados

As exportações de ovos somaram 26,8 mil toneladas em 2012, com crescimento de 61,2% em relação a 2011. A receita cambial, de US$ 42,6 milhões, teve incremento 50,8%.  Angola, com 47% do total, e Emirados Árabes Unidos, com 38% das importações, foram os principais compradores.

Material genético

As exportações de material genético (matrizes) em 2012 somaram 1.100 toneladas, em retração de 14,8%. A receita somou US$ 43,8 milhões, com aumento de 15,5% em comparação a 2011.

Perspectivas para 2013

Com relação a 2013 a UBABEF prevê que, sem um crescimento maior da economia, não há perspectiva de um aumento expressivo do consumo da carne de frango no Brasil, a não ser decorrente da expansão do consumo por parte das classes C & D.

A consolidação da posição da carne de frango como uma proteína animal nutritiva e saudável também poderá contribuir para um aumento do consumo no mercado interno.

Já no mercado internacional há espaço para ampliar os embarques, segundo a UBABEF.

A entidade estabeleceu, como ações prioritárias de marketing internacional, iniciativas que abrangem 11 países:

● Ações de manutenção de mercado e qualificação das exportações com a participação em importantes feiras internacionais e a realização de workshops na França, Emirados Árabes Unidos, China, Japão e África do Sul;

● Concretização da abertura do mercado da India, onde o fator impeditivo é a tarifa de importação de carne de frango, hoje de 100% para cortes e 30% para o frango inteiro;

● Abertura de novos mercados, como Nigéria e Argélia, na África (continente que receberá um foco especial nas ações deste ano), e Indonésia, Malásia e Camboja, na Ásia.

As estimativas da UBABEF para 2013 são de um crescimento de até 3% tanto na produção quanto nas exportações de carne de frango.