ABPA na Mídia






27/09/2017

Brasil propõe novo Instituto Latinoamericano de Genética Avícola

Em encontro que elegeu Francisco Turra primeiro vice-presidente da entidade, ABPA apresenta proposta por órgão voltado para a pesquisa e o fomento da genética avícola no continente

 

A Associação Brasileira de Proteína Animal apresentou ontem (26/09) uma proposta para a criação do Instituto Latinoamericano de Genética Avícola.  A apresentação aconteceu durante assembleia da Associação Latinoamericana de Avicultura (ALA), em Guadalajara, no México.

De acordo com a proposta da ABPA os trabalhos do novo instituto terão como pilares a atuação do instituto está o fortalecimento da sanidade, o estímulo ao desenvolvimento tecnológico e a expansão da produtividade e dos negócios no segmento avícola.

“O setor de genética é um dos segmentos de maior agregação de valor na cadeia produtiva avícola, no qual o Brasil se destaca não apenas pela alta tecnologia empregada em seu sistema, como também por se consolidar como plataforma exportadora.  Queremos usar nossa expertise para fortalecer o intercâmbio de informações e o status sanitário da cadeia produtiva do continente”, destaca Francisco Turra, presidente-executivo da ABPA.

Na mesma assembleia, Turra foi reeleito 1° vice-presidente da ALA, que passará a ser presidida por Apolonio Suárez Orbezo, também presidente da Associação Peruana de Avicultura (ALA).

“Temos como grande objetivo profissionalizar ainda mais a atuação da ALA na América Latina.  Queremos uma associação ainda mais atuante, integrando interesses e trabalhos das cadeias produtoras de cada país-membro”, ressalta Turra.