ABPA na Mídia






28/09/2017

IPC  adota estratégia unificada de Sustentabilidade

IPC  adota estratégia unificada de Sustentabilidade

O Conselho Internacional de Avicultura (IPC, sigla em inglês), que representa 90% da produção mundial de carne de frango, adotou uma estratégia conjunta de princípios de sustentabilidade para a indústria global do setor.  A proposta foi aprovada durante o último encontro do Conselho, realizado em Banff, no Canadá.

Com o objetivo de estabelecer um norte para os princípios já amplamente adotados pela avicultura mundial, os princípios de sustentabilidade estão baseados em três pilares estratégicos: econômico, social e meio ambiente. 

Sob a perspectiva ambiental, o acordo unificado do IPC indica o aprimoramento da eficiência de reprodução, produção de alimentos para animais, gerenciamento de resíduos e emissões, uso sustentável da água, com preservação do bem-estar animal.

Já o pilar social está centrado na segurança alimentar da população e no bem-estar animal, com a oferta de alimentos seguros para o consumo humano, com reduzido risco de patógenos como a Salmonela e o Campylobacter.

Por fim, o pilar econômico vislumbra o crescimento sustentável das agroindústrias do setor, com respeito aos princípios da segurança alimentar e da melhoria da nutrição humana.

“A proposta busca assegurar o crescimento contínuo da cadeia produtora de carne de frango, que deve assumir o posto de principal fornecedor global de proteína animal, a partir da próxima década.    Tal crescimento, de acordo com a proposta, deve se ajustar às crescentes restrições ambientais e sociais mundiais, em acordo com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (SDG), estabelecidos pela Organização das Nações Unidas em 2015”, destaca a brasileira Marília Rangel, Secretária-geral do IPC.

Conforme o vice-presidente do IPC, o também vice-presidente de mercados da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Ricardo Santin, os princípios estabelecidos já são amplamente adotados por diversos players da avicultura mundial, como é o caso do Brasil.

“O que buscamos é estabelecer um comportamento padrão na indústria pelo crescimento sustentável.  Produtor de uma das proteínas mais acessíveis no mercado, o setor de carne de frango deve uniformizar sua estratégia global de trabalho, com respeito à segurança alimentar da crescente população mundial e ao meio ambiente”, ressalta Santin.