ABPA na Mídia






11/04/2019

Posicionamento da ABPA sobre o papel da Apex-Brasil

A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) discorda do editorial de hoje do Jornal O Globo que, entre outros pontos, sugere a extinção da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), considerando-a um “organismo inoperante”.

A avicultura, a suinocultura (setores contemplados na associação) geram, juntas, quase US$ 8 bilhões em exportações anualmente (dados de 2018).  São 4,1 milhões de empregos diretos e indiretos gerados nesta grande cadeia produtiva. Isto, sem contar outros setores da economia beneficiados pelas ações da agência.

Grande parte deste saldo é alcançado graças às ações viabilizadas pelos Projetos Setoriais Brazilian Chcicken, Brazilian Egg e Brazilian Pork, mantidos pela entidade em parceria com a Apex-Brasil.

O suporte da agência não se restringe a recursos financeiros – feitos sob a lupa de auditoria independente, e com a exigência de contrapartidas dos setores.   Vai muito além: a Apex-Brasil desenvolveu uma marca internacional para o País e estimulou na economia brasileira a necessidade da promoção setorial.

A expertise da equipe qualificada e o suporte dos escritórios internacionais da agência deram novos caminhos para as exportações brasileiras, em especial, para as pequenas e médias empresas.  A consultoria prestada pela Apex-Brasil foi primordial.

Veja o exemplo da avicultura.  A implantação do projeto setorial auxiliou as exportações de carne de frango, que aumentaram ano após ano, contribuindo para o Brasil conquistar a liderança mundial, com uma fatia de quase 40% das exportações globais. 

A Apex-Brasil é importante para os setores produtivos exportadores e para a retomada econômica brasileira.  Ao invés de extinção, defendemos a ampliação de seu papel.  Como toda nação que preza pelas exportações, o Brasil deve incrementar a promoção comercial internacional.